Trump takes it all

Sem comentários Rudá Sudário

Pouco antes das 2h dessa madrugada, o jornal de maior credibilidade do planeta apontava uma chance maior que 95% de vitória para o candidato republicano Donald Trump. Tendência essa que, poucas horas antes, era a extrema oposta. Os maiores especialistas diziam que a chance de Hillary Clinton vencer era próxima dos 90%.

Na última cena do filme Watchmen, após uma trama que culminou na paz mundial absoluta, o editor de um jornal implora para seu repórter que encontre algo para escrever. “Ronald Reagan diz que vai concorrer à presidência em 88… pode dar uma matéria”. O editor olha indignado: “…não damos cobertura a absurdos. Isto ainda é a América!!! Quem aceitaria um caubói na Casa Branca???”

E assim, a contragosto de muitos, a América aceita Donald Trump no seu cargo máximo. Ao mesmo tempo entrega em suas mãos o poder máximo do país mais poderoso do planeta. Seu partido controlará a Casa dos Representantes, o Senado e a Suprema Corte. Resumindo, Trump tem nas mãos o Judiciário, o Legislativo, o Executivo e, como diz meu pai, o jornalista Alex Medeiros, o poder Aquisitivo.

Isso explica a luta do establishment contra Trump. Todos os meios possíveis foram utilizados, quase todas as instituições americanas fizeram campanha por Hillary, mas, inacreditavelmente, Trump saiu vencedor. Uma campanha financiada por si próprio, apoiada por sua família e alguns amigos leais.

Acredito que a família Clinton também irá aprender a valorizar a derrota. Lembrarão do que disse Bill Clinton em entrevista para o jornalista Chris Wallace em 2006. Perguntado se ele poderia fazer mais pela humanidade como presidente ou como filantropo ele respondeu: “Se você viver tempo o suficiente e disciplina para gerir, como fazemos na Fundação Clinton, você estará apto a melhorar a vida de tantas ou até mais vidas que você poderia como presidente”. Disse mais: “Amanhã quando eu acordar e tiver uma má notícia nos jornais, a responsabilidade é do presidente Bush, não minha”. Trump agradece.

Rudá Sudário

Editor-chefe do Tendência Econômica