A inocência e o comunismo cubano

Sem comentários Rudá Sudário

Guerrillero Heroico, retrato do líder revolucionário Che Guevara, tirada em 5 de março de 1960, talvez seja a foto mais reconhecida e reproduzida do mundo. Menos conhecido foi o autor da foto, Alberto Korda.

Fotógrafo profissional do mundo da moda, onde podia ter contato com suas duas maiores paixões: fotografias e mulheres, Korda mudou o rumo de sua vida com uma foto menos glamourosa. Durante a Revolução Cubana ele tirou a foto de uma menininha (Paulita) segurando um pedaço de madeira, que ela dizia ser sua boneca. Segundo ele, nesse momento percebeu que valia a pena dedicar seu trabalho a uma revolução que dizia ser possível remover os problemas da desigualdade.paulita

A foto acima foi publicada com um artigo escrito pelo seu autor: “não podemos esquecer esta menina. É uma menina cubana, uma campesina, por suas bochechas correm duas lágrimas, sustêm nos bracinhos um pedaço de madeira, que vê como boneca, tem dois anos, dois anos sem sorriso, dois anos sem brinquedos além dos que cria seu coração. Esta é uma campesina, como ela há milhares, sem sorrisos, com um triste pesar no olhar, esta foto é a foto mais importante que tiramos no campo. Não podemos esquecer esta menina nem sua boneca de madeira”.

Anos depois, Paulita convida Korda para o seu casamento e pede para que ele tire a mesma foto, com sua boneca de madeira há anos guardada, mas dessa vez com seu vestido de noiva. Contrariando o fotógrafo, ela diz “Quero ser retratada séria, como na foto de quando era pequena”. Dois anos depois Paulita morreu de leucemia. Sua foto menos famosa se perdeu no acervo confiscado do fotógrafo, nos arquivos do regime comunista.

O mundo lembra até hoje de Che Guevara, Alberto Korda jamais esqueceu de Paulita.

Rudá Sudário

Editor-chefe do Tendência Econômica